sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Brasileirão: 90%


Disputas por título, Libertadores e contra o rebaixamento chegam indefinidas à reta final


Chegamos à reta final do Brasileirão 2010, e apesar de um certo sentimento de que o campeonato não "engrenou", como em anos anteriores - talvez pela parada da Copa do Mundo -, já estamos a três rodadas do fim. Com 90% do torneio concluído, é hora de analisar as últimas três rodadas e tentar visualizar o que pode acontecer na acirrada briga pelo título, vaga restante na Libertadores e fuga do rebaixamento.

Título: reviravolta

A briga pelo título está emocionante, e a cada rodada uma equipe aparece com mais chances. Após duas rodadas na ponta, o Cruzeiro foi ultrapassado pelo Fluminense. Mas a liderança só durou quatro rodadas, e após um gol em pênalti polêmico no confronto direto, o Corinthians ultrapassou os mineiros e voltou ao primeiro lugar, que não ocupava desde a 24ª rodada.

A chegada de Tite surtiu efeitos instantâneos e positivos no time, que foi o melhor das últimas semanas: três vitórias e um empate, somando dez pontos. Numa sequência tão equilibrada, em que a média de pontos das equipes foi de 5,25 de 12 possíveis, os resultados contra o Cruzeiro e no clássico contra o São Paulo fazem do Corinthians o favorito do momento. O Fluminense perdeu a grande chance de encaminhar o título ao empatar em casa com o Goiás, mas ainda assim pontuou bem - 8 de 12. Dos três, o Cruzeiro foi o pior, anotando apenas seis pontos e saindo da liderança para ficar três pontos atrás do Corinthians. Os problemas na defesa parecem ser o pricipal senão do time neste momento.

Contudo, a tabela do Fluminense ainda é a mais fácil, já que recebe um provável rebaixado Guarani na última rodada e, nas próximas duas, enfrenta São Paulo e Palmeiras, sem aspirações no campeonato e rivais do Corinthians, fora de casa. Da mesma forma, o Cruzeiro recebe Palmeiras e Vasco e joga fora contra o Flamengo, enquanto o Corinthians tem um jogo complicado contra o Vitória no Barradão. Impossível prever.

Rumo à Libertadores: Atlético-PR em melhor forma

Assim como na disputa do título, a briga pela vaga remanescente na Libertadores envolve três equipes e está equilibrada. Com o segundo melhor desempenho das últimas quatro rodadas (três vitórias, nove pontos), o Atlético-PR assumiu a quarta colocação pela primeira vez no campeonato. Impulsionado por Paulo Baier, que marcou os gols das vitórias sobre o Flamengo (1 a 0) e Grêmio Prudente (2 a 1), o Furacão já empatou com o Cruzeiro na segunda melhor campanha do returno, com 29 pontos. Os jogos fora contra o Ceará e em casa com o Avaí parecem fáceis, mas o duelo mais importante acontece neste final de semana.

No sábado, o Atlético-PR visita o Grêmio, ainda detentor da melhor campanha do segundo turno, com 34 pontos. A derrota para o Fluminense na 32ª rodada impediu a aproximação definitiva do G-4, mas o time depende só de si: se vencer o Furacão no confronto direto, vai a 57 pontos e ultrapassa o rubro-negro paranaense. Depois, visita um desesperado Guarani em uma partida complicada e, finalmente, recebe o Botafogo na última rodada, em outro confronto direto - por isso, depende só de si mesmo.

O Botafogo, por sua vez, tem os mesmos 56 pontos do Atlético, mas fica atrás pelo meno número de vitórias. Neste domingo, tem grande chance de reassumir a quarta posição em que estava há três rodadas, ao receber um Internacional sem aspirações no campeonato e já concentrado no Mundial de Clubes. Depois, visita o já rebaixado Prudente e decide e vida contra o Grêmio no Olímpico - podendo até jogar por um empate. Abreu continua marcando gols importantes e levando o time nas costas.

Contudo, vale lembrar que nada disso terá importado se Palmeiras ou Goiás vencerem a Sul-Americana, já que em caso de conquista brasileira, o quarto colocado perderá a vaga na pré-Libertadores. Mas como a final da competição acontece só depois da última rodada do Brasileirão, a torcida eleita poderá comemorar, pelo menos por alguns dias.

Rebaixamento: um G já foi, faltam 2

A briga contra o rebaixamento parece menos quente neste ano, por praticamente não envolver mais grandes. Com outro desempenho ruim, o Grêmio Prudente só somou 3 de 12 pontos possíveis e teve seu rebaixamento concretizado na 35ª rodada, ficando com 27 pontos. A campanha pode ser a segunda pior da história dos pontos corridos com 20 times, superando apenas os 17 pontos do América de Natal em 2007.

Curiosamente, o único triunfo recente foi justamente no confronto direto, e em grande estilo: 4 a 1 no Goiás, resultado que praticamente sepultou as chances de salvamento do esmeraldino. Com isso, o time goiano recebeu do Prudente a lanterna do segundo turno - 13 pontos - e fechou o pior desempenho das últimas quatro rodadas, somando apenas um ponto (exatamente contra o então líder Fluminense, fora de casa). Estes casos mostram como as equipes que lutam contra o rebaixamento tentam se superar nas rodadas finais, fazendo com que resultados considerados garantidos sejam verdadeiras zebras.

Com 32 pontos, a sete do 16º colocado com nove ainda por disputar, o Goiás precisa de uma combinação de resultados e ainda vencer Atlético-MG fora, Corinthians e Santos em casa. Tudo isso enquanto ainda precisa dar atenção às semifinais da Sul-Americana. Mesmo com Rafael Moura inspirado, parece que não vai dar.

Nas outras duas indesejadas vagas, a briga é mais acirrada. Avaí e Guarani aparecem empatados com 37 pontos, e a fase de ambos é horrível: o Bugre somou apenas dois pontos nas últimas quatro rodadas, e foi quem mais caiu no período - três posições, afundando na zona de rebaixamento. No confronto direto com o Vitória em casa, empate em 1 a 1 que pode custar caro, já que a equipe enfrenta o Grêmio, na busca pela Libertadores, no Brinco e a dupla Fla-Flu fora.

O Avaí foi um pouco melhor no retrospecto recente, somando sete pontos, mas a tabela é igualmente complicada: visita o Atlético-PR, também na briga pela Libertadores, e o Santos, e pode decidir o descenso em casa, contra o Atlético-GO. O Dragão, aliás, protagonizou a maior recuperação da parte de baixo da tabela: após amargar 27 rodadas na zona de rebaixamento, engrenou uma série de bons resultados (apenas uma derrota em sete jogos) e está três pontos à frente do Avaí. O jogo no Serra Dourada contra o desinteressado São Paulo pode garantir a permanência, se conseguir roubar pontos de Vitória e Avaí nos confrontos diretos fora de casa.

Com 39 pontos, Vitória e Atlético-MG ainda fazem muitas contas. O Galo vem bem com Dorival Júnior, que já igualou a pontuação alcançada com Luxemburgo na metade das rodadas. O Galo joga em casa contra o Goiás, provavelmente já rebaixado, e visita São Paulo e Palmeiras, em partidas que pode muito bem vencer e dizer adeus à degola. Já o Vitória tem que se preocupar mais: sem vencer há três rodadas, tem um jogo dificílimo no Barradão contra o Corinthians, e pode entrar pela segunda vez no Z-4 a duas rodadas do fim.

Ainda preocupado, o Flamengo de Luxemburgo tem oscilado muitos altos e baixos, e a goleada sofrida para o Atlético-MG no último final de semana acendeu o sinal amarelo na Gávea. O Fla está três pontos à frente de Avaí e Guarani, mas devido ao alto número de empates, caso iguale-se em pontos ficará atrás dos adversários na classificação. A tabela tem um jogo difícil contra o Cruzeiro e um confronto direto contra o Guarani, ambos em casa, e um jogo menos complicado na Vila Belmiro diante do Santos. Pelos inúmeros confrontos diretos, pode escapar com apenas mais uma vitória.

Confira os números do campeonato até aqui:

35ª rodada

Melhor ataque
2010 - Corinthians (61)
2009 - Grêmio (60)
2008 - Flamengo e São Paulo (62)
2007 - Cruzeiro (71)

Melhor defesa
2010 - Fluminense (34)
2009 - São Paulo (35)
2008 - Grêmio (30)
2007 - São Paulo (15)

Pior ataque
2010 - Guarani (32)
2009 - Santo André (36)
2008 - Ipatinga (35)
2007 - América-RN (24)

Pior defesa
2010 - Goiás (60)
2009 - Náutico e Sport (62)
2008 - Figueirense e Vasco (68)
2007 - América-RN (71)

Artilheiros
2010 - Jonas (GRE): 21 gols
2009 - ADriano (FLA): 19
2008 - Kléber Pereira (SAN): 21
2007 - Josiel (PAR) e Acosta (NAU): 19

Série invicta: Botafogo (13)
Série de vitórias: Atlético-PR, Corinthians (3)
Série sem vencer: Guarani (10)
Série de derrotas: Flamengo (2)