segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Análise: Brasileirão 100%


Liderado por Conca, Fluminense conquista seu segundo título brasileiro

Ataques ganham jogos, mas defesas conquistam campeonatos. Uma das máximas do futebol provou-se verdadeira novamente nos pontos corridos do Brasileirão em 2010. Pela terceira vez nos últimos três anos, o time da defesa menos vazada sagrou-se campeão brasileiro, em um ano marcado pela baixa média de gols e indefinição do campeão até os últimos instantes. Mais do que isso, a marca do Brasileiro 2010, o oitavo por pontos corridos, foi a da irregularidade das equipes e a definição clara, bem antes do que em outros anos, do que cada time buscava no campeonato: a divisão bem demarcada de forças, consequência de repetidas temporadas sob este regulamento, começa a mostrar sua cara.

Sprint final: Flu e Cruzeiro fazem sua parte, Corinthians bobeia

De nossa última análise, passaram-se três rodadas que viram, no transcorrer delas, muitas alterações de posições na ponta. Durante determinados momentos dos jogos, a liderança passava de mão como um bastão de revezamento 4 x 100m. Mas no sprint final, Fluminense e Cruzeiro foram superiores e deixaram o Corinthians com o bronze.

Flu e Cruzeiro tiveram três rodadas finais perfeitas, somando nove pontos. Enfrentando fora de casa dois rivais do Corinthians, o tricolor carioca teve novamente grandes atuações de Darío Conca, craque do campeonato, para chegar ao seu segundo título nacional, após 26 anos.

Com uma tabela teoricamente mais complicada, o Cruzeiro venceu bem o Vasco em casa e saiu ganhador da partida mais difícil, contra um Flamengo que ainda lutava para fugir do rebaixamento. Duas viradas seguidas sobre Fla e Palmeiras, entretanto, garantiram à Raposa de Cuca o vice-campeonato e a passagem direta à fase final da Libertadores.

O Corinthians, por sua vez, continuou mostrando as dificuldades de jogar bem fora de casa, e perdeu a liderança em um empate com o Vitória, em Salvador. O triunfo fácil sobre o Vasco no Pacaembu manteve acesas as esperanças, mas graças a uma falha de Júlio César, que vinha crescendo de produção na reta final, o duelo no Serra Dourada terminou apenas empatado. Se serve de consolo, nem mesmo a vitória adiantaria, já que o Flu fez a parte dele.

Libertadores: Grêmio seca o Goiás

Quem também somou 100% de aproveitamento nas últimas três rodadas foi o Grêmio, com vitórias contundentes sobre Atlético-PR, Guarani e Botafogo. Vencendo dois confrontos diretos na briga pela quarta vaga à Libertadores, o tricolor chegou aos 43 pontos no segundo turno, alcançando a melhor campanha de uma equipe em um turno do Brasileirão: 75,43% de aproveitamento, deixando a 16ª posição ao final da 19ª rodada
para terminar no quarto posto.

O Grêmio terminou ainda o campeonato com o melhor ataque (67 gols), igualando sua marca do ano passado e ultrapassando Fluminense, Corinthians e Santos na reta final, em que marcou nove gols em três jogos - os 23 gols de Jonas, artilheiro com mais gols desde Washington e seus 34 em 2002, certamente ajudaram e muito. Entretanto, de nada adiantará o esforço se o Goiás conquistar a Sul-Americana na quarta-feira, por isso o suspense permanece.

Turma do meio: coadjuvantes

Foram raras as vezes nos últimos anos em que tão pouco esteve em jogo na última rodada. Com três rebaixados já conhecidos - e o último saindo de um confronto direto - e a briga à Libertadores reduzida também a um confronto direto, 13 dos 20 times chegaram à rodada 38 apenas para cumprir tabela. Já classificados para o torneio continental em 2011, Santos e Internacional aproveitaram as rodadas finais para fazer testes visando a próxima temporada ou mesmo os ajustes finais para o Mundial Interclubes. Para são-paulinos e palmeirenses, ao menos a graça foi torcer para seus times perderem para o Fluminense e estragar o centenário corintiano.

O desempenho da turma do meião nas rodadas finais mostra bem a irregularidade das equipes ao longo do ano: a média de pontos da turma (que vai, na classificação final, desde o Inter, 7º, ao Avaí, 15º) foi de 4,5 de nove disputados, exatamente 50%. A maioria dos times manteve a posição de três rodadas atrás, com exceção de Avaí, que conseguiu escapar do rebaixamento com uma rodada de antecedência graças a uma virada sobre o Santos na Ressacada, e o Atlético-MG, que encerrou a corrida pela recuperação, impulsionado por Dorival Júnior, para beliscar ainda uma vaga na Sul-Americana. E não será só o Grêmio a torcer contra o Goiás: o Flamengo também, torcendo para que o Grêmio pegue a vaga na Libertadores e sobre para ele, Fla, a última vaguinha da Sul-Americana.

Rebaixamento: recuperações e surpresa

Foi a luta contra o rebaixamento mais sem graça dos últimos anos, não apenas por não envolver times grandes, mas também porque Grêmio Prudente, Goiás e Guarani já terem chegado à última rodada enforcados. A emoção foi grande, sim, no Barradão, onde o surpreendente Atlético-GO, lanterna por onze rodadas e que havia arrancado na reta final com vitórias importantes como a conquistada sobre o Corinthians em pleno Pacaembu, segurou o ataque do Vitória po 90 minutos para se manter na primeira divisão. Tristeza rubro-negra, alegria tricolor, já que o Bahia será o representante do estado em 2010 na Série A.

Destaques: Darío Conca (meia, Fluminense), Jonas (atacante, Grêmio) e Henrique (volante, Cruzeiro)

Perebas: Júlio César (goleiro, Corinthians), Jefferson (goleiro, Botafogo), ataque do Vitória

Brasileirão 2010 - 38ª rodada: números finais

Melhor ataque
2010: Grêmio (67)
2009: Grêmio (67)
2008: Flamengo (67)
2007: Cruzeiro (73)
2006: São Paulo (66)

Melhor defesa
2010: Fluminense (36)
2009: São Paulo (42)
2008: Grêmio (35)
2007: São Paulo (19)
2006: São Paulo (32)

Pior ataque
2010: Guarani (33)
2009: Atlético-PR (42)
2008: Ipatinga (37)
2007: América-RN (24)
2006: São Caetano (37)

Pior defesa
2010: Goiás (68)
2009: Náutico, Sport (71)
2008: Figueirense (73)
2007: América-RN (80)
2006: Santa Cruz (76)

Gols e média
2010: 978 (2,57 gols por jogo)
2009: 1094 (2,87)
2008: 1035 (2,72)
2007: 1056 (2,77)
2006: 1030 (2,71)

Artilheiros
2010: Jonas (Grêmio) - 23 gols
2009: Adriano (Flamengo) e Diego Tardelli (Atlético-MG) - 19 gols
2008: Kléber Pereira (Santos), Kerrison (Coritiba) e Washington (Fluminense) - 21 gols
2007: Josiel (Paraná) - 20 gols
2006: Souza (Goiás) - 17 gols

Séries

Série de vitórias atual: Cruzeiro, Fluminense e Grêmio (3)
Série invicta atual: Corinthians e Fluminense (9)
Série de derrotas atual: Palmeiras (4)
Série sem vencer: Ceará, Goiás (7)

Maior série de vitórias do campeonato: Botafogo - 5 (da 12ª à 16ª rodada)
Maior série invicta do campeonato: Fluminense - 17 (da 4ª à 18ª rodada)
Maior série de derrotas: Goiás - 6 (da 14ª à 19ª rodada)
Maior série sem vencer: Goiás - 12 (da 8ª à 19ª rodada)